sexta-feira, abril 20, 2007

A contribuição adventista

Ozeas Caldas Moura nasceu em agosto de 1955, na cidade de Rubiataba, GO. Doutor em Teologia Bíblica pela PUC, Rio de Janeiro, com Licenciatura Plena em Letras e pós-graduação em Língua Portuguesa. Foi pastor de igreja por 12 anos (Goiás, Rio de Janeiro e São Paulo) e professor universitário por 13 anos, em São Paulo e na Bahia. Atualmente, é editor na Casa Publicadora Brasileira.

Nesta entrevista, concedida a Michelson Borges, ele fala das contribuições que o adventismo deu à cristandade.

O adventismo surgiu em meados do século 19 e deve muito de suas doutrinas a igrejas protestantes históricas. Poderia mencionar algumas dessas igrejas e quais as contribuições delas para o adventismo?

Recebemos a doutrina do sábado dos batistas do sétimo dia (através de um membro dessa igreja, a Sra. Rachel Oakes Preston, que a passou a Frederico Wheeler - que se tornou o primeiro pastor adventista do sétimo dia). Para mencionar dois exemplos, dos batistas, recebemos a doutrina do batismo por imersão; dos metodistas, recebemos a prática do estudo sistemático e diário da Bíblia e também boa parte dos hinos que hoje cantamos (só para lembrar: Ellen White era metodista antes de se unir aos mileritas e, finalmente, abraçar o adventismo).

O que o adventismo trouxe de “novo”, em termos de doutrina?

De "novo", podemos mencionar a doutrina do Santuário, que explica o que Jesus está fazendo agora (sendo nosso Advogado e Sumo-sacerdote). As outras confissões religiosas não têm isso muito claro, por não entenderem como o santuário israelita era símbolo da obra de Cristo em favor da humanidade. A doutrina do Santuário leva à outra doutrina peculiar aos adventistas: o Juízo Investigativo, ou seja, a etapa do Juízo na qual os pecados são, não somente perdoados, mas também apagados - como acontecia no Dia da Expiação judaico. A doutrina de que o corpo é o templo do Espírito Santo e que deve ser bem cuidado, com um estilo de vida saudável e vegetariano, não é totalmente uma "novidade" adventista, mas foi por esta igreja livrado de exageros (através das orientações de Deus à Ellen White).

No século 19, havia muitos "reformadores da saúde", mas ensinavam exageros. Por exemplo: não usar nada de sal ou de açúcar, não usar nenhum remédio alopático, uso de sangria para "retirar o excesso de vitalidade", vegetarianismo sem nada de produto animal, etc. Através das orientações de Deus à Sra. White, esses excessos e distorções foram apontados como prejudiciais e ficaram fora do vegetarianismo e estilo de vida como o adotado pelos adventistas. Hoje a Ciência Médica está confirmando o que Ellen White falou há um século e meio.

Quanto à mortalidade da alma, pode-se dizer que a compreensão dessa verdade foi graças aos estudos dos pioneiros de nossa igreja, mas essa doutrina também é compartilhada pelas testemunhas de Jeová (grupo que também vem do movimento de reavivamento de Guilherme Miller, como os adventistas).

Qual a base bíblica para a crença de que os mortos estão dormindo, aguardando a volta de Jesus? Que tipo de esperança essa doutrina traz?

Há muitos textos que falam que os mortos "dormem", ou seja, que estão inconscientes e realmente "voltam ao pó". Eis alguns textos: Eclesiastes 9:5, 6 e 10; João 5:28 e 29; 11:11-14 e 25; 1 Coríntios 15:51-55; 1 Tessalonicenses 4:13-18, etc. Essa doutrina nos conforta em saber que mesmo nossos entes queridos que não aceitaram a Cristo não estão sofrendo agora num inferno de fogo. Todos (maus e bons) dormem o sono da morte, aguardando do dia da ressurreição, quando, então, serão julgados e recompensados "segundo suas obras". Também a idéia de que nossos mortos estão dormindo é confortante, no sentido de que eles não estão comtemplando nossas lutas neste mundo. Do contrário, ficariam bastante tristes com todos os infortúnios que acometem seus familiares que ficaram neste mundo.

O sábado pode ser defendido em ambos os Testamentos? Que benefícios traz a sua observância?

Sim, ambos os Testamentos falam do repouso no sábado. Eis alguns textos do Antigo Testamento: Gênesis 2:2-3; Êxodo 20:8-11; Isaías 56:2,4-6; 58:13 e 14. No Novo Testamento: Mateus 24:20; Lucas 4:16; 23:54 e 56; Atos 13:14, 42 e 44; 16:13; 17:2; 18:4; Hebreus 4:4 e 9, etc.

Qual a contribuição adventista para um novo e saudável estilo de vida?

Alguns já foram mencionados na resposta à segunda pergunta. Mas de forma resumida, poderia mencionar: a dieta ovo-lacto-vegetariana, a guarda do sábado como dia anti-estresse, a ênfase nos "Oito remédios de Deus": ar puro, luz solar, uso de bastante água, exercício, repouso, temperança, regime saudável e confiança no poder de Deus. Além da posição de não se usar álcool, fumo ou outra droga qualquer, o não uso de alimentos gordurosos e das carnes chamadas de "imundas" na Bíblia, impróprias para a alimentação, como a carne de porco, de peixes sem escamas, e os chamados "frutos do mar", por exemplo.

Conclusão.

Gostaria de dizer que não somos melhores nem piores em releção às outras igrejas. Somos, sim, mais responsáveis e devedores ao mundo pela quantidade de luz que Deus nos deu, que deve ser repartida com todos os sinceros filhos de Deus que buscam fazer Sua vontade.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails